sexta-feira, fevereiro 12, 2010

enquanto isso, no hemisfério norte...

Enquanto aqui no Rio as temperaturas oscilam entre 48º na praia e mais de 56º nas celas superlotadas da carceragem da Polinter (está hoje nos jornais), nossos amigos do outro lado do Atlântico enfrentam nevascas inéditas, mesmo para os países deles. Até a calorenta Roma anda assim, como mostra esta foto tirada ontem no Vaticano...

Vejam acima o Coliseu, ao fundo, debaixo de neve. Da Costa Leste americana, por outro lado, não se esperava menos. Muita, muita neve, com cara de cenário do 'Dia Depois de Amanhã'. É o que lá está sendo chamado de 'Snowmageddon', o Armageddon (fim dos tempos) da neve. Na foto abaixo o pobre porteiro em Manhattan, tentando limpar a entrada do seu prédio.

Diante disso tudo, não dá para entender com ainda existem os céticos da mudança climática. Estão esperando que aconteça mais o quê??? O acordo de Copenhagen foi um fracasso, milhões de euros jogados fora. O querido Obama, por quem tanto torcemos, não consegue levar adiante suas boas intenções. China e Índia não abrem mão do chamado 'progresso'. Nosso Brasil joga para a arquibancada, mas terá de cumprir nem que seja em parte tudo a que se propôs. Começando por diminuir drasticamente o desmatamento.

Quando eu era novinha esperávamos o verão com ansiedade, conforme está contado na letra do 'Tardes Cariocas'. O verão era um tempo sensual e gostoso, bom para a preguiça e os amores. Hoje sair de casa tornou-se tarefa hercúlea. O Rio ficou reduzido a duas estações, verão e inferno. Aquela brisa que vinha do mar praticamente sumiu, e olhando as montanhas crivadas de favelas dá para entender por que. A ocupação irregular das encostas, estimulada criminosamente por políticos em busca de votos, resultou num desmatamento nunca antes visto por aqui. E a construção - tão criminosa quanto, voltada unicamente para o lucro - de condomínios de concreto, em altura incompatível com o que era até então o gabarito dos bairros à beira-mar, ajudou a bloquear a passagem da brisa marinha que refrescava a cidade. Isso não é de  hoje, apenas estamos começando a pagar a conta.

("minha janela não passa de um quadrado/ a gente só vê Sérgio Dourado/ onde antes se via o Redentor", cantava o Tom, ainda em 1978. Sérgio Dourado, pioneiro nesse tipo de construção que tanto ajudou a enfeiar o Rio, conseguiu ter seu nome substituído por 'cimento armado' na gravação da música...)

Estes esquimós da foto somos nós, logo ali em dezembro/2009, pegando uma ainda suportável temperatura de -17º na Alemanha. Que iria baixar sensivelmente nos dias seguintes, a ponto de um cidadão em Dusseldorf dar queixa na polícia do roubo do seu carro _ que estava na verdade coberto pela neve.

Tanta coisa a fazer no nosso tempo, a Terra tem pressa. Um mais um é sempre mais que dois. Nossa casa planetária precisa que paremos com os maus tratos. Se essa acabar, não teremos outra.


6 Comments:

At 2:08 PM, Blogger rogerio santos said...

É Joyce.
É a cegueira branca do Saramago.
Não a neve, mas o ato de ver e não enxergar.

É mesmo desanimador.

Beijos, Rogerio

PS: E aqui em Sampa, são as enchentes.
Aliás, tenho uma canção em parceria com o Pituco, que trata do problema das enchentes por aqui.

Esse ano foi ao extremo.

O homem está consguindo em 150 anos acabar com o equilíbrio de um planeta tão delicado.

E industrialização cria o lixo, mas nunca se preocupou com o seu destino.

Tudo muito desalentador e triste.

Só ouvindo uma boa canção pra tentar superar essa realidade nefasta.

Beijos
Rogerio
PS: Bom carnaval, seja em Parati ou no Cacique de Ramos.

 
At 2:41 PM, Blogger pituco said...

joyce,

essa nossa casa é o planeta mais harmonioso do sistema solar...no entanto os proprietários são arrogantes e gananciosos...e os inquilinos, na grande maioria, inocentes manipulados...não seria mais ou menos assim?

tudo em excesso desarmoniza.

abraçsons pacíficos e siberianos

 
At 3:20 PM, Blogger Luiz Antonio said...

Na sala de meu escritorio agora, com ar condicionado, temperatura de 31.8. (o ar esta funcionando). na rua uns 40. No sul da ilha Brasil, 40 graus tem sido recorde de temperatura atrás de recorde.
Na boa, fora minha fé inabalável em Deus, acho que já é tarde demais. Foi muita AÇÃO NÃO PENSADA.
E a física não falha: cada ação corresponde a uma reação proporcional. DANOU-SE!

 
At 9:11 PM, Blogger Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

querida joyce o primeiro encontro ambientalista foi em Estocolmo em 77 e foi um puro fiasco como a badalada ECoRio e este ultimo q vc cita.
a ação antrópica (do homem) esta ai devastando tudo..
somos imaturos quando tratamos de grana/ não nos interessa a graça e nem a bossa do samba/de que vale a gloria, a beleza e o drama?/o que se quer é um iate, um modelo e muita derrama...
abs
paul

 
At 1:40 PM, Blogger Marcel said...

Olá Joyce!

Nós aqui em São Paulo ficamos com medo da chuva, em outros pontos do mundo o calor é o problema, ou o gelo.

Aonde chegamos?
Já chegou a hora do homem parar pra pensar no que realmente vale, porque não adianta fazer assembléias atrás de assembléias caras para decidir que vai reduzir isso e aquilo, se tivessem seguido o Protocolo de Kyoto como foi planejado, a situação hoje poderia ser um pouco melhor.

Nesse ritmo nós precisamos tomar a nossa parte, caso contrário só Deus sabe o que vai acontecer, quando lembramos do hoje famoso 2012 eu penso, o mundo vai se acabar só em 2012? Ou nós estamos destruindo ele desde sempre?, fica muito estranho ligarmos uma coisa a outra, mas mesmo assim faz muito sentido.

Enfim, tudo é uma questão de tempo, e talvez a solução sempre esteve em nossas mãos, basta colocar REALMENTE em prática!

Até mais!

Marcel.

 
At 11:09 PM, Anonymous Anônimo said...

Joyce querida, não se preocupa não, se a casa desabar viveremos ao relento.

 

Postar um comentário

<< Home