quarta-feira, janeiro 20, 2010

convite

Ela começou de mansinho, mineiramente discreta, e agora, cada vez mais, está se revelando uma verdadeira artista da fotografia, com seu olho mágico que captura o momento na fração de segundo exata, como só os grandes conseguem. E como um grande sempre reconhece outro, neste convite está presente o texto de ninguém menos que o mestre Walter Firmo, abençoando Myriam Villas Boas:

"Então, ao sair do meu cofre-forte do ego de todo artista, marejo com um certo olhar, sem inveja ou ciúmes, um preamar encantado com o jeito mineiro sutil dessa moça batizada com o nome de Myriam Villas Boas, que fotografa estes personagens descobertos em uma oração crioula, trazida pela religiosidade de negros congadeiros numa celebração de fé, em honra a Nossa Senhora do Rosário e aos santos pretos."
                                          Walter Firmo

A exposição da Myriam será em Brasília, detalhes acima. Quem estiver por lá e puder comparecer, é imperdível, Quem não puder, fique como eu, esperando que se transforme em livro muito em breve.

PS- "Cofre-forte do ego de todo artista" é uma generosa definição para aquela egocentria mais ou menos latente em cada um de nós. Grande Walter!


9 Comments:

At 3:13 PM, Blogger Luiz Antonio said...

Joyce, lembrei! Esse mês você comemora o !SEXAGENARIAHHHHHHHH HUMMMMMM"
BJS, FELICIDADES...HAHHHHHHHHHHHHH!

 
At 8:08 PM, Blogger Myriam said...

Joyce, me sinto muuuito feliz com o seu carinho e apoio. bjos. Miroca

 
At 8:19 PM, Anonymous Sergio Santos said...

Lá estarei eu em Brasília nessa exposição, maravilhado com os olhares dessa menina. Tenho sorte.
Bjs

 
At 11:36 PM, Blogger Jorge Santos said...

Sorte, querida. Você merece

 
At 12:44 AM, Blogger Luiz Antonio said...

Joyce, sem desmerecer o post sobre a fotógrafa e seu trabalho (eu adoro fotografia, tenho livros que inclusive ja me renderam comentários hilários por parte de uns e outros, tipo: "mas isso não é um livro...só tem figuras!!!!"´diante desses eu não tenho como não lembrar do personagem de "A Bela e a Fera" _versão Disney_ em que o Gaston _um homem primitivo_ diz á Bela "mas o que voce quer com esses livros???não tem figuras!!!")
Bom, e sem querer reabrir também
a questão do direito do autor, da pirataria virtual, etc. Mas, se por um lado a internet assalta o autor, o cantor, lançando links de sua arte para serem copiados sem que esse sequer saiba que estão alí, disponibilizados para quem quiser baixar _de gratis_ o fruto de seu trabalho, de sua arte, de seu ganha pão, enfim...Porém, estou aqui encantado com o trabalho de Marilia Medalha e de Célia _ trabalhos que eu encontrei na internet_ que JAMAIS eu teria a chance de encontrar por dois motivos principais: não taca no rádio, não tem nas lojas e um terceiro: eu sou do sul da ilha (nem sp nem rj). Se não fosse um blog que lança links eu jamais teria ouvido esses excelentes trabalhos. Marilia Meldalha, fui pro são google e descubro Niteroiense que nem eu!!!!!SHOW DE BOLA!!!!!!!!!!!Afinidade territorialista! Célia, até com você parace que ja se apresentou.Vozes bélissimas a Marilia também compõe: "nós os grandes artistas, os equilibristas da fé" LINDA!!!! TÔ arrebatado!

 
At 6:46 AM, Blogger JoFlavio said...

A Morte da Colibri

Morreu a colibri. Morreu rápido, fácil, sem dores ou aflições. Morreu como um passarinho. Sua única tristeza, ao partir, parecia a certeza de que, como todos os colibris, o esposo morreria assim que ela abandonasse o mundo. Pois é sabido que um colibri não pode viver sem a sua companheira. Jamais houve um colibri que conseguisse resistir à morte da fêmea, eis a suprema grandeza de um amor. Mas como a colibri sabia disso, isso também sabia o dono do colibri viúvo. E, assim que a colibri morreu, o esperto dono, rapidamente, colocou diante do colibri vivo um espelho perfeitamente polido para que a avezinha não sentisse a falta da companheira. E como tal se buscava, tal se deu. O colibri, que era míope ou narcisista, vendo-se refletido no espelho, considerou duplicada a sua vida e, assim, continuou vivendo, contrariando a lenda e a ornitologia. Mas lá veio o dia fatal em que um moleque atirou uma pedra na gaiola, tentando acertar o colibri. Não acertou no colibri mas acertou no espelho. E logo, num minuto, olhando em volta, atônito, apalermado, o colibri entrou em pânico, em agonia, e sucumbiu. O médico chegou apenas a tempo de constatar a morte e declarar a causa: morreu de espelho partido.

MORAL: NINGUÉM PODE VIVER SEM O REFLEXO DA PRÓPRIA IMAGEM.
(Fábulas Fabulosas, 1963, Millôr Fernandes)

 
At 9:29 AM, Blogger pituco said...

joyce,

se é foto é fato...e a foto fala, com certeza...em casa, meu pai foi cinegrafista e fotojornalista...só eu é que não curto muito posar pra fotos...rs

e, dia 31, é teu aniversário...otanjôbi omedetô gozaimassu...rs

abraçsonoros e pacíficos

 
At 11:29 PM, Blogger Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

beleza saber q vc aprecia fotografia. qdo eu tinha 19 anos, perambulava pelas ruas de SP com amigos e cameras fotograficas capturando imagens e uma vez chegamos a expor no frio MAM do Rio.

esta frase do Walter, sobre a egocentria, que vc de forma conciente comenta me surpreende pois não é comum um artista admitir esta sua natureza.

 
At 3:55 PM, Blogger JoFlavio said...

J,
E por falar em convite..... Eu, aqui em Londrina, faço um aí no Rio. A causa não poderia ser mais oportuna. Dia 28, quinta-feira, a partir das 17 horas, um show com vários pianistas em "benefício" de Helvius Vilela. Na Modern Sound, Copacabana (Rua Barata Ribeiro, quase esquina com Santa Clara). Confirmados Wagner Tiso, Kiko Continentino, Osmar Milito, Marcos Resende, entre outros. Se estivesse na cidade, jamais perderia essa.

 

Postar um comentário

<< Home