quinta-feira, abril 21, 2011

uma entrevista

Esta foto minha diante de um cappucino no café da Livraria da Travessa, em Ipanema, foi feita em dezembro do ano passado, durante uma entrevista que dei ao escritor e jornalista alemão Marc Fischer. Ele estava escrevendo um livro sobre bossa-nova e queria ouvir algumas pessoas ligadas ao gênero. Na verdade, a ideia era um livro sobre João Gilberto, mas já que este era e é impossível de entrevistar, Marc optou por fazer o que Gay Talese fez com Sinatra: foi pelas beiradas, falando com o entorno, ao invés de falar com o sujeito principal da história que queria contar.

Foi uma ótima conversa, como geralmente acontece quando o repórter conhece o assunto do qual está falando. Isso muitas vezes não rola por aqui, onde os jovens repórteres de vez em quando esquecem de fazer o dever de casa, e sequer procuram no google informações sobre o entrevistado. No caso de Marc, ele era um estudioso do assunto, conhecia tudo, e queria simplesmente o approach pessoal dos entrevistados para o livro que ele poderia perfeitamente ter feito, sem precisar se dar ao trabalho de falar com a gente.

Agora fico sabendo pela minha amiga Cristina Ruiz-Kellersman, jornalista brasileira radicada em Berlim, que Marc, infelizmente, escolheu sair da vida antes da hora. O livro que ele escrevia, porém, deve estar sendo lançado neste fim de semana, e recebendo publicidade extra - money makes the world go 'round... - devido à morte repentina do ainda jovem (41 anos) autor.

Lamentei muitíssimo essa partida súbita, ainda mais por ter sido por decisão própria. Quem conhece um pouco que seja da vastidão do mundo espiritual, qualquer que seja o credo, sabe que essa é a pior escolha que se pode fazer. Era um cara legal. Que Deus o abençoe onde estiver.

PS- convido a quem ainda não foi lá, a visitar meu outro blog, 'Avec Élégance' (www.3avec-elegance.blogspot.com), que faço com mais duas amigas. O canal dos comentários, que estava com problemas, finalmente funciona.

2 Comments:

At 12:50 AM, Blogger Marcel said...

Não sei se o último comentário ficou salvo, mas em todo caso o faço novamente.

Realmente para nós que estamos ligados direta ou indiretamente ao mundo espiritual sabemos o que uma triste e delicada decisão dessas pode ocasionar. Deus vai tomar contar desse escritor!

Enfim, uma nova grande obra sobre esse mundo particular que é a bossa nova, pelo para mim que sou leigo, adoro ler esses achados, entrevistas e etc. Muitas coisas boas do Ricardo Cravo Albim e do Rodrigo Faour também.

Outra coisa que não poderia passar despercebido, são os vídeos do show Nas Ondas da Ro Ro, e que encontro de grande estilo, a Ro Ro é muito talentosa no que ela faz, logo quando ouvi Essa Mulher senti que tinha alguma coisa diferente rs, então olhei para os seus dedos e entendi que você tinha abaixado o tom. E tinha também o vídeo de "Medo de Amar" que não sei por que postaram como se o nome fosse "Hortelã", ai pensei que você devia ter cantado Galã Tantã no show e alguém se confundiu pra postar. hehe

E claro, como em outras ocasiões, fui obrigado a bancar o copista! hehehe Vidrado nos acordes e passando eles no meu violãozinho aqui velho de guerra! A gente tem que ir treinando pra tentar dar continuidade, Se Deus quiser e assim permitir!

E depois de muito pedir, quase implorar hehhe, o meu regente me ajudou a transcrever "Clareana" pra partitura, por mais que eu consiga ler e interpretar, pra escrever sou péssimo. Ai ficou só pra Flugelhorn, que é o que eu toco mesmo! rs

Bom, deixa eu parar que eu sempre escrevo demais, se fosse falando...! rs

Enfim, um beijo enorme
Até Jazz!

 
At 2:51 PM, Blogger Ana Luiza said...

Oi Joyce, estou no RJ e ontem te vi no cinema, assistindo a Rio. Fiquei achando que ia te atrapalhar se a abordasse, mas depois fiquei chateada por nao ter dito oi. Vc sempre me reconhece qdo a encontro em Belo Horizonte, mas achei que eu estava muito fora de contexto em um cinema no Leblon. :-) Enfim, vendo vc falar sobre um livro do qual participou, fiquei pensando que, so por ter figurado em um capitulo do seu livro, ja tinha motivo de sobra para te abordar. Por isso, estou escrevendo para dar um oi pelo menos virtual. P.S.: Desde de ontem a noite, nao paro de cantarolar "Revendo Amigos" e "Duas ou três coisas"... Ana Luiza.

 

Postar um comentário

<< Home