sábado, março 19, 2011

diário de bordo 2

Turnê tem dessas coisas. Numa troca de aviões entre Zurich (Suíça) e Catania (Itália), lá se foram as nossas bagagens. Ficamos dois dias com a roupa do corpo, tendo shows para fazer (o que me obrigou a ir às compras em Modica, onde iríamos atuar naquela noite, para subir no palco um pouco mais apresentável). Depois de dois dias de negações, boatos e informações truncadas, finalmente conseguimos reaver nossas malas. Fica a sugestão de se evitar companhias como a malfadada italiana Wind Air, que cobrou uma grana extra por peça de bagagem (e não entregou!) e para se prestar atenção quando a moça da Swiss Air disser 'pode deixar que mandaremos suas malas direto para o destino'. Dependendo do destino, pode ser uma grande roubada.

(Lembrei de uma viagem nossa a Cuba em 1987, onde isso aconteceu - não conosco, mas com Gilberto Gil, que acabou tocando no Festival de Varadero usando as bermudas da viagem e uma camisa emprestada por Pablo Milanés... Ficou parecendo uma atitude fashion, mas foram as circunstâncias...)

Mas Modica é uma belíssima cidade e os shows têm sido todos ótimos.

Modica by night (fotos do Rodolfo). A Sicília foi uma bela surpresa!

Estamos hoje em Osimo, outra belíssima cidadezinha italiana, agora na região do Adriático, onde tocamos a noite passada num maravilhoso teatro antigo, o La Nuova Fenice. É nessas cidades menores da Itália que ainda se cultiva a nobre gastronomia italiana. Tem sido bom passar por aqui. Do outro lado, acordar às vezes às 5 e meia da manhã para pegar um voo, tendo chegado no hotel às duas, como aconteceu em Palermo, e embarcar rezando para não perder a bagagem de novo, é sempre um stress. O equilíbrio se dá em cima do palco, e aí a alegria de estarmos tocando a música que amamos não tem preço.

Tivemos daqui a grata notícia de que nossos shows no Ronnie Scott's, em Londres, já estão sold-out. Isso é sempre uma maravilha - vamos a eles!!!

6 Comments:

At 7:23 AM, Blogger Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

malas...ossos do ofício.
q bom ver, saber, que vcs estão por ai, pela Europa, pelo mundo, tocando e espalhando a boa musica.
abs
paul

 
At 7:53 PM, Blogger Marcel said...

Boa Sorte até o fim da turnê!

No Brasil esperamos
anciosos pelos próximos shows
daqui!

E tudo dará certo, e nada mais
de desvio de pertences.

Aqui o circo que pegou fogo no momento foi o blog da Bethânia e as autorizações do MinC para alguns artistas arrecadarem alguns milhões.... rs
No mais, tudo na "santa" paz.

Um Beijo e até jazz!

 
At 8:39 AM, Blogger Luiz Antonio said...

por aqui quem se apresentou também para um grande público, num teatro bem antigo, em evento bem concorrido foi o OBAMA, no municipal do Rio...tô louco pra ver a CARAS dessa semana (!!!!)(???)...

 
At 11:10 AM, Blogger pituco said...

joyce e pessoal,

apesar dos extravios e contratempos, bacanudo saber que a música tá rolando...pensei comigo...antes as roupas do que os instrumentos, não é verdade?

bom, aqui a terra ainda treme com frequência...muitos partem temerosos (compreensível, claro)com um iminente desastre nuclear e a rotina inédita imposta...os que ficam, por opção ou por falta dela, procuram driblar as adversidades com alguma dignidade e paz no coração...

...lá em cima, onde o estrago foi imensurável e cruel, o pessoal une forças pra se reerguer e continuar...

confesso que às vezes chega dar um vazio no coração...um banzo estratosférico...e o que consola essa angústia é saber que o sol continuará nascendo no leste e se pondo no oeste...e a noite tenho de divertir uma platéia que ainda acredita na vida...

é isso aí
bom som e abraçsonoros

 
At 8:01 AM, Blogger joyce said...

Queridos todos, obrigada pelos comentários. E faço minhas as palavras do Pituco : "e à noite, tenho de divertir uma plateia que ainda acredita na vida..." Lindo. É isso mesmo o que fazemos, da maneira mais digna que nos for possível.

E que bom que existam plateias que ainda acreditam na vida! Manter viva essa crença é a nossa missão.

 
At 2:09 PM, Anonymous Anônimo said...

Pedi que um grande amigo italiano, que mora em Palermo, fosse assistir tua apresentação, Joyce. Era um jeito de, de alguma forma, me sentir próximo dele, possibilitando seu contato com a grande música do meu país. Ele topou na hora, mas, aposto, deve ter sido também influenciado pelo toque especial que esse show tinha: justo no aniversário de Elis, 17 de março (lembraram disso?). Contei muitas histórias sobre vocês, sobre as relações artísticas, sobre as canções e mandei vídeos. Ele comprou ingresso na hora que leu o email, ma purtoppo, não me deu notícias ainda. Fico com as suas - poucas, ainda - mas que já me dizem algo do lugar, do momento que tanto queria ter compartilhado contigo e com ele. Quem sabe outro dia, here, there, everywhere...

Grande abraço, Joyce.
Anderson Falcão
Brasília - DF

 

Postar um comentário

<< Home