segunda-feira, outubro 14, 2013

Carta do Velho

Esta é uma expressão que se usa muito no mundo do samba. "Carta do velho" quer dizer que você vai tocar (ou cantar) músicas que conhece muitíssimo bem, e que portanto não apresentam risco. Ou seja, quando o repertório é, para o artista em questão, 'confortável', como dizia Paulo Moura.

Por exemplo, pra mim todo o repertório da bossa-nova é carta do velho. Por ouví-la direto desde a infância, conheço tudo, de trás para diante, de olhos vendados e em qualquer situação. Às vezes, quando estou fazendo algum projeto que não seja meu, recorro a este expediente. Quando os projetos são muitos e diversos, como nestes próximos dois meses, é carta do velho na certa, pois haja tempo e disposição pra decorar novidades...

Roberto Menescal, meu querido parceiro e brother, me convidou para tocarmos juntos num projeto dele, chamado 'Rio Bossa-Nova Festival'. Quando ele veio aqui em casa para combinarmos o repertório, ele mesmo já saiu dizendo que era tudo 'carta do velho'. O que se provou não ser exatamente a verdade, pois havia novidades de ambas as partes, inclusive parcerias nossas recentes. Mas o público adora quando reconhece algumas das canções. A melhor solução, então, é arrumar alguma novidade harmônica ou rítmica que enriqueça o arranjo e traga algumas novas gracinhas que nos deem - a nós músicos - motivação para curtirmos coisas que já estão gravadas desde sempre na nossa grade mental.

Foi assim  que Menescal me chegou com um arranjo ultra slow music para seu standard maior, 'O Barquinho', além de uma harmonia esperta que não perdia o sentido da original, mas trazia detalhes sutis. Afinal, nós, crianças alimentadas a harmonia nos anos 1950/60/70, adoramos este lado da música-dentro-da-música. Acabou que foi delicioso, todos nos divertimos demais, banda e platéia, e ficamos desde já esperando pelos próximos eventos.

Amanhã canto Vinicius no programa Sarau, da Globonews: carta do velho total. Dois dias depois, outro programa de TV, com meu parceiro Edu Lobo: provavelmente serão nossas parcerias, mas se formos pelo repertório mais conhecido dele, aí é carta do velho de novo. Em novembro faço show com meu brother Dori Caymmi, comemorando os 70 anos dele. Neste caso, carta do velho é quase impossível, mas vamos ver, nunca se sabe.

Nos meus próprios shows, que acontecerão de agora até dezembro, mais novidades do que antiguidades. Mas alguma carta do velho, sempre tem...

6 Comments:

At 11:06 AM, Anonymous Túlio said...

adoro estas gírias musicais, sempre criativas e espirituosas e bem humoradas.
aprendi mais uma, obrigado.
uma que conheço e que já saiu do espaço musical é mandar o lima. já ouvi gente usando a expressão por aí.

beijos

 
At 1:34 PM, Blogger joyce said...

Mandar o Lima, que gerou o verbo 'limar' e a expressão 'ser limado de alguma coisa'...

 
At 12:50 PM, Blogger pituco said...

joyce,

como podemos ouvir esse 'barquinho' no remanso....???...e curto pacas essas cartas todas que citaste...bom som pra todos e saúde...abrsons

 
At 9:20 PM, Blogger joyce said...

Pituco, quem viu, viu... Mas quem sabe um dia a gente grava?

 
At 11:23 PM, Blogger Cyntia said...

Na hora eu lembrei da versão de "O Barquinho" que escutei no novo disco de Stacey... Tão bonitinha! E olha: mais legal do que reconhecer uma "carta do velho" é gostar tanto da nova harmonia que até queremos levar pra casa. :)

 
At 11:35 PM, Blogger Bernardo Barroso Neto said...

Adorei essa expressão Carta de velho. Tomara que você seja convidada pra muitas outras homenagens e continue cantando essas pérolas. E que você continue nos brindando com suas músicas maravilhosas antigas ou inéditas.

 

Postar um comentário

<< Home