quinta-feira, agosto 07, 2014

Vamos em frente

Ah, o alívio que dá ter saído do Facebook, inimaginável. Não me julguem mal, reencontrei pessoas muito queridas ali, encontrei outras tantas, sempre seguindo a regra que me impus de aceitar apenas os conhecidos pessoalmente (ou pelo menos, os que tivessem sido indicados por algum amigo). Deu certo, até certo ponto. Mas como comentou nosso amigo André Mehmari, parece que estamos no mês do cachorro louco. Os ânimos andam por demais exaltados, e de guerras e mal-entendidos o mundo já está bem servido, não é?

Outro amigo comentou que era mais feliz quando ainda não conhecia realmente o pensamento de pessoas que, até então, ele tinha em alta conta. Outra amiga ainda, psicanalista, citou a sociedade narcísica em que vivemos, que só tende a piorar - cada um acha que o mundo gira em torno de si, e tudo o que acontece é em função deles. Falou também sobre a sutil diferença entre cobiça e inveja: na primeira, você quer ter o que o outro tem; na segunda, você quer ser o outro, e caso não consiga, quer destruí-lo. Já meu amado interneto (neto versado em internet) me aconselhou a ler as postagens, mas jamais os comentários, que é onde as pessoas expõem o seu pior, pois, como ele diz, "a humanidade é muito jovem", imatura. Enfim...

Enfim, não usei nenhum mecanismo da rede - nem bloqueei, nem 'deixei de seguir' ninguém. Apenas desativei o perfil, e isso foi libertador. E agora terei mais tempo para dedicar a este modesto blog, por exemplo, onde exponho meu pensamento e idéias mais à-vontade, e vê quem quer e se interessa. A página de artista continua lá, com a agenda e as novidades, que também estarão no website. Eu gostava muito de ser uma pessoa do século XX. Era mais tranquilo.

Mas vamos em frente - e ótimas perspectivas para 2015 já começam a se desenhar, que maravilha.


10 Comments:

At 10:23 AM, Anonymous Bruno Perez said...

Sou leitor assíduo deste blog. Admiro muito sua obra e sua trajetória artística. Confesso que assistia (e lia sobre) estas suas aventuras pelas redes sociais meio, assim, "de longe". Admito que você foi mais forte que eu. Minhas aventuras pelo FB duraram não mais que dois ou três dias... E para não deixar meu comentário aqui grande demais e cansativo, divido com você uma definição explicitada pelo ator Wagner Moura (que faz parte do 1% de celebridades que não tem perfil no FB) do que são as redes sociais: não passam de revistas Caras auto editadas!

 
At 11:27 AM, Blogger Luiz Antonio said...

E segue a música!
Joyce, eu (re)descobri há algum tempo,graças a internet, o trabalho de uma cantora brasileira, até então para mim, somente cantora: Maíilia Medaglia.

Eu não tinha nem dez anos de idade quando ouvia essa voz no radio da cozinha, com minha mãe lavando a louça e eu brincando por ali.
Reencontrei "a voz" , no you tube, é a mesma. Baixei as músicas. A cantora envelheceu, assim como minha mãe, devem ter idade parecida, e ambas são de Niterói- RJ.
Linda voz, talento , lindas musicas, comprovando mais uma vez que a arte e a alma não tem idade Me emocionei ao ver uma mulher , que defedeu, ainda moça o PONTEIO com Edu Lobo, e que depois sumiu do cenário, a cantar, aos seus 70 anos, num video gravado no SESC, coma mesma vitalidade, a cantar o amor, a cantar a vida, numa canção _ que então fui saber_ era parceria dela com Vinicius. "Canção para o Grande Amor".
Fui atras de saber mais dela descobri que era além de cantora uma compositora ótima e grande parceir(A) (disseram que a única parceira mulher que Vinicius teve) disso se não for verdade, sabes bem, pois o Vina _É_ teu grande amigo.
Também acabei sabendo que seu "sumiço" em grande parte foi decorrente do regime da ditadura que levou dela o marido e muito de sua vida .
Ia ser muito legal ouvir e ver um projeto seu com ela!
Se alguém aqui do blog, duvido!, não conhece ou está ha tempo sem saber por onde anda ela, vejam que barato esse video do you tube:
http://youtu.be/vwHtybobmxY

Obrigado Joyce, por me permitir quase fazer uma postagem "em apenso" as suas aqui no blog ao invés de me restringir aos comentários!

 
At 2:42 PM, Blogger Diogo Tomás said...

Joyce, as suas palavras são sempre tão directas e calorosas, muito obrigado por elas, pelo desabafo e pela partilha. Curiosamente, nas últimas semanas também eu desisti um pouco da comunicação facebookiana. Será uma mudança goblal? Talvez. Eu, particularmente, cheguei à conclusão que o facebook é um deserto. Toda a gente está, toda a gente vai, toda a gente "curte" mas ninguém tem olhos para tanta informação, nem lê o que "curte", nem vai ao que diz que foi. Está lá mas parece-me a mim, que está sozinho. Li algures aqui pelas internetes, uma observação interessante: «O twiter é bom para falar para as pessoas; o facebook para falar sobre as pessoas e o google+ para falar com as pessoas». Eu espero que este último sirva mesmo para falar com as pessoas (que é isso que me interessa) mas, na verdade, só agora dou por mim a explorar a plataforma. Talvez o facebook seja últil para trocarmos ideias com alguns amigos e família - pensar nessa plataforma para falar com todo o mundo, parece-me cada vez mais, um engano. Gosto muito do seu blogue! Uma honra poder visitá-lo, escutar e participar em conversas. Obrigado,

Diogo Tomás


Ps- Acho que ficarei sempre meio sem jeito por entrar assim numa conversa com alguém que admiro tanto. Sinto que há tantas conversas que deveria ter primeiro - como o quão adoro a sua música, as suas ideias, o seu percurso, etc. Sempre que houver possibilidade, a seu tempo e a seu post =) lhe direi. Um abraço!

 
At 3:11 PM, Anonymous Mauricio said...

So de curiosidade. Se alguem lhe perguntar com ironia: "qual e o teu face"? (ta na moda!)

 
At 9:48 AM, Blogger joyce said...

De acordo, Bruno!
Luiz Antonio, Marlia é maravilhosa, qualquer hora escrevo sibre.
Diogo, sinto um leve sotaque luso na sua escrita, pois não? O fb é um deserto sim, falsamente povoado... Enganador, por certo.
Se me perguntarem, direi que não tenho mais, ora! E darei o endereço do blog e da página de artista (Joyce Moreno) que continua funcionando.

 
At 10:47 AM, Blogger Luiz Antonio said...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

 
At 6:20 PM, Blogger Diogo Tomás said...

Joyce, o seu ouvido é realmente impressionante ;) Eu, português, me confesso. Mas em representação de mim mesmo - que representar Portugal inteiro (principalmente nos dias que correm) é demasiada responsabilidade para uma pessoa só =) E porque falamos de redes sociais e o isolamento que a elas está associado, permitam-me partilhar convosco um video (com opção de legendas em várias línguas) sobre a vulnerabilidade e a sua importância na nossa realidade. https://www.ted.com/talks/brene_brown_on_vulnerability

 
At 7:37 PM, Blogger Bernardo Barroso Neto said...

Eu uso o Facebook tenho vários amigos virtuais e reais por lá, mas eu concordo com você. Realmente o Face como todas as outras redes sociais é muito complicado de se lidar com as várias divergências que se encontra. Mas como diria Chico Buarque: a gente vai levando. Até quando der.

 
At 4:36 AM, Blogger pituco said...

joyce,

sentimos tua falta por lá… lembrando-te que a melhor invenção daquele mercadão virtual é o botão…delete…e a tarefa, bloquear...

abrsonoros

 
At 11:48 AM, Blogger Sils said...

Querida Joyce

Concordo plenamente com você, e acrescento:
O problema com a internet è que o seu triunfo parece constituir-se na velocidade com a qual o estúpido pode transferir sua estupidez de um lugar para outro.

Silvio D'Amico

 

Postar um comentário

<< Home