domingo, novembro 26, 2006

Rede Caílson de Hotéis

Esta suite meio antiguinha, com cara de casa de boneca, é o quarto de Sissi, a Imperatriz, no Hilton de Viena. Ficamos lá quando fomos tocar no Birdland, clube de jazz que pertence ao Joe Zawinul, e que fica no próprio hotel. Este não é um Caílson. E o que seria um Caílson, afinal de contas? Vamos lá que eu explico.

Dori diz que foi invenção do Danilo. Pode até ser, mas aprendemos com ele, Dorival, e portanto fica sendo uma legítima criação caymmica, já incorporada ao nosso dia-a-dia. Por outro lado, pra citar o Gil, aquela história de 'um dia chanceler, um dia sem comer' acontece com músicos de todo planeta, principalmente os abnegados que labutam na cena inóspita do jazz. Coincidiu de hoje ser meu dia de mendigo, meu amigo. E assim lá vamos nós mais uma vez parar na famosa Rede Caílson de Hotéis, que é mundial e cada vez mais surpreendente.

Um hotel, para ser legitimamente Caílson, tem de ter aquela qualidade fundamental: ser meio (ou totalmente) caído. Pode ser com relação aos serviços, `a aparencia, `a qualidade dos quartos e banheiros, roupa de cama, ou tudo isso junto. Nas cidades pequenas do interior do Brasil, por exemplo, é praticamente certo que iremos parar em algum Caílson, que muitas vezes é o único hotel da área, e portanto não há outro jeito. Já estivemos num onde o banheiro não tinha box nem cortina, e sim um rodo ao lado do chuveiro, para que o próprio hóspede pudesse evitar a inundação... Mas não se iludam os queridos leitores, o primeiro mundo é pródigo em Caílsons, mesmo alguns que `a primeira vista parecem bastante charmosos, como o da foto aí ao lado. Este era uma graciosa villa na região do Veneto, na Itália. E de fato, para sermos justos, não foi dos piores. Mas por um ou dois quesitos importantes, como a falta de telefone no quarto, por exemplo, entrou para o rol.

O glamour da nossa profissão nem sempre corresponde `as expectativas, e a vida de um músico de jazz (pois é assim que nos classificam lá fora) é pura gangorra. Por isso mesmo, um dia eu posso estar no fabuloso Hotel Negresco, em Nice, e no outro dia num Caílson qualquer de alguma cidadezinha européia, onde o chuveiro não funciona, o tapete tem cheiro de mofo, coisas desse tipo. Posso estar numa suite de 100 m2 do New York Palace Hotel, como aconteceu quando fui participar de um evento chamado Songwriter's Hall of Fame (e cantei no mesmo palco que Liza Minelli, Tony Bennet, James Brown, coisa que os meus escritores de press release custaram a entender _ não cantei com eles, e sim no mesmo evento e na mesma noite, o que é bem diferente. Não teve nem aquele grand-finale com todo o mundo junto). Mas acabado o evento, rua. E lá vamos nós pra mais um Caílson da vida, mais compatível com nossos bolsos. New York, como todo o mundo sabe, é a campeã mundial da rede Caílson.

Mas a Europa é imbatível. E assim foi que na minha última tournée por lá, em junho/ julho/ agosto deste ano, ao lado de alguns hotéis realmente muito bons, acabamos passando por tantos Caílsons, especialmente na Inglaterra, que fui obrigada a fazer uma classificação geral da rede, que ficou assim:

1- Caílson Standard (Holiday Inn, Ibis e assemelhados)
2- Caílson Luxo (Hilton de cidade pequena, como Leeds, por exemplo)
3- Caílson Tradição (muito comum na Europa, é aquele que no século 19 era chiquérrimo. A Rainha Vitória se hospedou lá com a família, Noel Coward escreveu uma canção no apartamento, etc etc... Hoje em dia é puro mofo)
4- Caílson Country (in the middle of nowhere)
5- Caílson Al Mare (para balneários)
e outros ainda em estudo...


Estes poderiam perfeitamente entrar para a célebre rede 'Worst Western Hotels', que a esta altura já é nossa velha conhecida. Para nossa sorte, tivemos um final com chave de ouro em Dublin, onde ficamos em Farmleigh, residencia oficial dos convidados do governo irlandês, o que ajudou bastante a desfazer a má impressão. Sabe como é: um dia rico, um dia pobre, um dia no poder, um dia chanceler, um dia sem comer... O ministro sabe das coisas. Daqui a pouco ele também volta pra Rede Caílson.


1 Comments:

At 5:44 PM, Anonymous Zé de Tremembé said...

Pois é:
Um dia no New York Hilton, outro no Itaquaquecetuba Mílton.
Assim segue a vida...

 

Postar um comentário

<< Home