segunda-feira, maio 28, 2007

falso brilhante

Sempre que chego de alguma viagem um pouco mais longa fora do Brasil me espanto na volta com alguma coisa. Desta vez o espanto foi no Premio Tim, onde estive representando o Dori, indicado como arranjador pelo nosso "Rio-Bahia". Nada contra o evento em si, já que é sempre bacana uma reunião festiva de artistas e indústria, como no Oscar, um congraçamento de colegas celebrando alguma coisa. Os critérios... bom, os critérios são os critérios, e também não há nada a dizer sobre isso, ou comentar os vencedores de sempre. Mas o povo... o povo fica esquisito`a beça.

Muito estranho ver os amigos e conhecidos do dia-a-dia, com raríssimas e honrosas exceções, transformados em caricaturas de si mesmos, falando e agindo com uma rigidez fora do normal. Foram tantos que nem sei contar. O jornalista gente-boa que me largou falando sozinha no meio da conversa, partindo diretamente para a prática do que os americanos chamam com propriedade de kissing-ass, com a superestrela que chegava. Essa mesma estrela, normalmente pessoa bastante cool, dando piti porque seus seguranças não puderam entrar junto. A colega que apareceu vestida como um embrulho de bombom, na esperança vã de sair em algum editorial de moda. Ainda neste departamento, fashion victims de todos os sexos, idades e estilos. A super-executiva da gravadora, normalmente pessoa carinhosa e gentil, de repente dura, tensa e nervosa no papel de guardadora da grande estrela de seu cast, sem conseguir dar um sorriso. Nenhum prazer, nenhum relaxamento como normalmente deveria ser uma festa. Estamos ali a trabalho, é claro, para ver e (principalmente) sermos vistos.

Nessas horas só dá pra fazer um comentário: meu reino não é deste mundo. Graças a Deus.

4 Comments:

At 4:26 PM, Anonymous cecília / ceci_obliquo@hotmail.com said...

"E, quando a primeira estrelinha ia refletir-se em todas as poças d'água,
Acenderam-se de súbito os postes de iluminação!"

Cocktail Party
Mário Quintana

 
At 12:55 AM, Anonymous Luiz Antonio said...

Esse comentário da Cecília, dispensa outros comentários. Disse tudo e com um bom humor "Quintanar!"
Beijos
Luiz Antonio

 
At 9:16 PM, Anonymous Marina Lemos said...

Joyce,

O fato de que Especiaria - CD teu e do Flavio Chamis nao foi nem mencionado no Premio Tim diz tudo... De acordo com várias pessoas que eu conheço (e leio) trata-se de um dos melhores CD de MPB que ja apareceram, mas ninguem na "industria" parece notar, todos eles olhando para seu próprio umbigo. A Biscoito Fino deveria fazer a maior campanha para fazer este CD se sobressair, por uma simples e única razão: sua impressionante qualidade. Pobre de nós, brasileiros, que não reconhecemos nossos valores - deve ser por isso que o Flavio foi morar nos Estados Unidos.

Marina Lemos

 
At 6:53 PM, Anonymous Anônimo said...

TOTALMENTE de acordo com a Marina Lemos sobre o que ela escreve sobre Especiaria - SUPER CD - Biscoito Fino, esse CD merece estar em qualquer lista do "best of the best" - adoro as musicas, a Joyce, e o Flavio ... Flavio quem????
Beijos,
Amanda

 

Postar um comentário

<< Home