segunda-feira, junho 11, 2007

a escrita


Quando eu era pequena, achava que queria ser escritora, como os amigos aí da foto (Heloisa Seixas, Ruy Castro, Ana Maria Machado, todos grandes nos seus ofícios e fãs de boa música). A música me sugou pra dentro dela quando eu ainda era estagiária no Caderno B do Jornal do Brasil, e nunca mais me devolveu.

Assim, não se cumpriu a profecia/desejo de minha mãe, que no Natal de 1960, tinha eu meus doze anos de idade, me deu de presente a obra completa de Machado de Assis, com uma dedicatória que dizia "que Machado de Assis te inspire no caminho que vais trilhar" (minha mãe era do início do século XX, pra quem estranhar o verbo na segunda pessoa). Virei um músico, e quando estou letrista, até consigo contar uma história direitinho. Ela também gostaria que eu tivesse sido diplomata, mas depois entendeu que de certa forma eu também represento o Brasil `a minha maneira. Eu faço o que posso.

Mas o velho Machado me inspirou sim, e muito. Principalmente seus contos (short stories em inglês, termo que define melhor) _ psicologia, ironia, profundidade, compaixão, toda a grande comédia/tragédia humana, tudo lá. Estes dias mesmo, em SP, assisti a uma versão teatral de dois contos dele, feita por um dos elencos do grupo Ágora, de que nossa filha Kadi faz parte. A história do sádico Fortunato (do conto 'A Causa Secreta'), contada por excelentes atores, descrita não só nas palavras, mas por gestos, caras e movimento, é de arrepiar. Ainda mais tenebrosa do que a simples leitura do texto, que em si já é impressionante. "O Espelho", outro conto ali re-contado, é um tapa na cara dos quase-famosos. Leiam, vejam, tudo o que um pequeno título (no caso, patente) pode fazer com um mortal. Depois me contem.

Machado de Assis, genio da raça _ e além do mais, ele é carioca.

6 Comments:

At 10:00 AM, Blogger Bernardo said...

Você é sim uma grande escritora também, fez um livro expetacular Fotografei você na minha rolleyflex.
Além de fazer letras de músicas expetaculares, arrisco até a dizer, me desculpe a comparação uma espécie de Tom Jobim de saias, pois não conheço outra compositora no mundo melhor que você.
Além disso você pode escrever outros livros e continuar compondo como o Chico Buarque faz.
Um beijo!

 
At 1:46 PM, Anonymous jeane said...

Machado é uma boa escola para quem quer escrever!

 
At 12:18 AM, Anonymous Amora said...

Joyce, a música realmente lhe sugou - e que sugada fabulosa! Mas a música e a escrita estão uma para a outra como gêmeas siamesas. Apesar de existir música sem letra oficial, conseguimos sempre imaginar uma história que poderia vir da música que ouvimos. E, quando lemos um livro, imaginamos - talvez - a música da escrita. Quando o casamento é oficial, nada mais sublime! E há compositores, tão sublimes quanto, que conseguem celebrar esse casamento com maestria. Você é um desses, certamente!
Super beijo! Sua escrita é música para os meus ouvidos...

 
At 6:04 PM, Anonymous cecília / ceci_obliquo@hotmail.com said...

Concordo com Amora...
Em poesia, como exemplo:
podemos ter então duas faces da mesma moeda, que é valiosíssima! A musicalidade de certos poemas faz do poeta (e do leitor) músico!!!
Suas letras, Joyce, também excitam o leitor a um trabalho de co-poeta, como todo bom texto de qualidade literária! Eu arriscaria dizer que a diferença entre o músico-poeta e o poeta-músico é a forma de editar e publicar os textos, pois, se há sensibilidade, música e poesia podem constituir uma só! São goles d'água bebidos no escuro, por serem solitárias e únicas... feridas de mortal beleza...

 
At 9:25 PM, Anonymous Renato said...

Verdade do Bernardo, Joyce: seu livro é uma maravilha e você pode se considerar uma escritora, com certeza.
E o Ruy e a Heloísa são muito gente boa. Já os entrevistei (separadamente) umas três ou quatro vezes e sempre me atenderam com grande gentileza.

 
At 10:43 PM, Blogger Lia said...

Joyce, acabo de vir de um show seu. Mais do que todos os seus dons juntos (escritora, cantora, compositora, poeta...), você é um ser humano mulher grandioso

 

Postar um comentário

<< Home