domingo, setembro 21, 2008

é pau, é pedra...

Momento de decisão: quem vai ser o novo prefeito da minha cidade? Quem vai encarar uma roubada dessas? Ou alguém muito maluco(a) ou muito ambicioso((a) também, pois temos duas candidatas).

Tenho um amigo concorrendo, pessoa que respeito e cuja postura admiro, mas que não sei se dará conta de tamanha pedreira, pois é impossível ser feliz sozinho e sua coligação não é lá das melhores. Tem o meu provável candidato, um político bastante interessante e de trajetória singular. Os outros são os outros. Quero ver quem se disporá a botar ordem nessa zona e dar um basta na favelização da cidade, por exemplo. Hoje, domingão, acordei `as seis da manhã com o foguetório no morro Dona Marta. Era polícia ou ladrão, tanto faz. E olha que moramos a mais de um quilometro e meio de distancia do morro. Imagina quem mora lá.

O problema é muito simples: não cabe mais ninguém no Rio. A cidade incha mais e mais a cada dia, e quem não tem lugar vai se espremendo pelas favelas que já existem. 'E quando o primeiro começa, os outros mais depressa procuram achar/ seu pedacinho de terra pra morar', já dizia Padeirinho, numa vasta extensão cada vez menos vasta. A periferia é aqui dentro, e cada bairro do Rio tem a sua. E o pessoal que mora nas comunidades hoje vive 'num campo de concentração sem arame farpado', como bem definiu o novo presidente do TRE-RJ. Liberdade zero. Foi para isso que tanto buscamos a democracia?

Ver minha cidade agonizando, em estado terminal, me faz lembrar nosso ex-governador Marcello Alencar, que disse um dia, de maneira politicamente incorreta, que o Rio de Janeiro é como uma belíssima mulher _ tão bela que os homens não querem amá-la, e sim estuprá-la. Pois pra ser mais incorreta ainda, vou lembrar aqui também aquela pérola do inenarrável Paulo Maluf: estupra, mas não mata. É o horror, é o caos, é o fim do caminho.

6 Comments:

At 5:07 PM, Blogger Luiz Antonio said...

Puxa, Joyce! Nunca vi um RIO tão SEM SAÍDA como esse que você descreveu.Realmente tem que ser doido demais pra encarar e ser o Xerife, quando na verdade o Rio e outras cidades brasileiras, já são caso de segurança nacional e não de delegacias locais. Se nem os artistas do Rio, gente como você e tantos outros, que nos fazem sempre ver com os olhos da emoção e do coração essa cidade, estão tendo dificuldades de enxergar luz no fim do túnel, é sinal que a coisa é bem pior do que imaginamos. SEM SAÍDA. Só mesmo o Redentor!E que ele nos ajude mesmo!

 
At 10:21 AM, Blogger Bernardo Barroso Neto said...

Joyce, infelizmente isso não é só no Rio. Acontece em todas as grandes cidades do Brasil.
Mas como o Rio é o nosso cartão de visitas aos olhos do mundo acaba sendo mais visado.
É uma pena mesmo o que está acontecendo com o Rio: um Rio de amor que se perdeu.
Abraços!

 
At 12:19 PM, Blogger JoFlavio said...

O Trágico Precedente
(À maneiras dos ... hindus)
Estava o rei persa saindo para a caçada, depois do seu ministro da meteorologia lhe afirmar que não ia chover durante dois meses quando, de brincadeira, perguntou ao muar que estava sendo carregado com bagagens: “Como é muar? Você não concorda com a previsão aqui do meu ministro?” O muar abanou a cabeça para baixo e para cima, peremptoriamente, afirmando que sim, que ia chover. Diante da curiosa reação do muar, ministro e rei caíram na gargalhada. Mas essa gargalhada logo se transformou num esgar de contrariedade por parte do rei e num ricto de humilhação por parte do ministro quando, estando no meio da floresta, no dia seguinte, caiu uma tremenda tempestade. Ali mesmo o rei despediu o seu ministro da meteorologia. E quando este tentou se explicar, gritou, raivoso: “Não adianta você querer se explicar. Um muar sabe mais de meteorologia do que você. Fá-lo-ei (que lingua a nossa!)meu ministro!” E, realmente, assim que chegou ao palácio nomeou o muar ministro.

MORAL: É POR ISSO QUE HOJE EM DIA QUALQUER MUAR ACHA QUE PODE FAZER PARTE DO GOVERNO E VIRAR MANDA-CHUVA.
PS. Fábulas Fabulosas, Millôr Fernandes

 
At 4:59 PM, Anonymous Anônimo said...

Pois é,Joyce,como disse o Cacaso numa musica sua:Tem gente séria tirando sarro.

Mas salve o Brasil

 
At 10:53 PM, Anonymous Sérgio Máximo said...

Falta luz na consciência das pessoas!Aqui no interior não é diferente,tem até baiano de banda de axé concorrendo para vereador,após ganhar muito dinheiro com os shows superfaturados da Prefeitura.Você sabia que mesmo os músicos com carteira da OMB aqui em Campos tiveram de fazer um teste com examinadores de fora para conseguirem contrato com a Prefeitura?Alguém já viu disso?Fora os contratos que os artistas têm que assinar em branco...Mas vai melhorar,um dia talvez,quem sabe?

 
At 3:12 PM, Blogger Pituco said...

joyce,
o rio de janeiro continua lindo...

e acabo de rever pela enésima vez o vídeo do especial da elis...sou elismaníaco...rs

essa mulher,composição tua com ana terra,uau...uau...a japonesada aqui ficou travada...que melô,que letra e que intérprete...a santa trindade musical...eternamente,parabéns...piramidal.

bom,passei pra te agradecer apenas...
domoarigatôgosaimashitá
muito obrigado

namaste

 

Postar um comentário

<< Home