domingo, outubro 11, 2009

a vida segue

Seguimos neste curto período de não-trabalho, eu um tanto ou quanto entediada com o mundo, já que não estamos fazendo música e é a música que me move, é o que move a nós aqui em casa. Chegamos do Japão há apenas uma semana, mas parece que foi há um século atrás.  As turnês da Europa e do Canadá, então, parece que aconteceram há milênios. O mundo para de rodar quando não estamos criando, tocando, inventando alguma coisa. 

Resta a invenção das crianças, que é sempre coisa boa. Nenhuma delas tem mais o tamanho que tinha quando foram feitas essas fotos, mas foi bom enquanto durou. Daqui a pouco vou começar a sentir aquela saudade que sinto de minhas filhas _ pessoas que não mais irei rever, não como elas eram na infancia. As pessoas que vejo hoje são outras, diferentes, com suas vidas, suas alegrias e tristezas, seus problemas, seus horizontes, seus sonhos. Assim será também com os filhos delas.

Houve três que chegaram praticamente ao mesmo tempo, de três diferentes mães, e foi uma loucura quando se juntaram aqui em casa. Eram até agora os menores, mas vem mais um a caminho e agora serão seis ao todo.

Voilà! A vida tem sempre razão. Os projetos futuros já começam a se desenhar lá na frente, em 2010, e incluem o que talvez seja o disco mais maluco que já fiz na vida. Vamos ver se tudo se confirma e a maluquice acontece mesmo. Como dizia minha mãe: "Joyce, você não tem mais o que inventar?" Pois é. Essa é uma gravidez que nunca termina.

PS- "Hoje em minha casa tem criança, cachorro e televisão/ Tem gente aqui chegando de viagem/ Também tem gente que não/ Nem por isso a música me larga/ Triste, sem inspiração/ O ouvido de dentro é o que importa/ Então eu fiz essa canção..."

"Na Casa do Villa" - CD 'Gafieira Moderna', 2001.

10 Comments:

At 8:06 PM, Anonymous Cecília Freitas said...

Somos engrenagens do universo e ele funciona de acordo com nossa disposição para o trabalho. Filhos, ideias, sons... são presentes seus para o mundo. Parece óbvia essa minha declaração, mas não é todo mundo que transforma o bom de si em matéria prima de criação - existem tantos talentos desperdiçados... porque é mais fácil ficar na inércia, criar requer coragem e trabalho, e é disso que nossa espécie precisa: de exemplos de coragem e trabalho. Espero, portanto, que você (como artista, mãe, avó, mulher, cidadã, humana) não deixe de passar por "gestações". Seria muito bom se todos nós aceitássemos a missão de gerar alguma coisa boa, que é inata a todos, creio eu...

 
At 7:42 AM, Anonymous Túlio said...

engraçado, eu sempre comparei a criação artística, seja de um disco, ou literária, etc, como uma gravidez e o lançamento do trabalho como um parto.
só não esperava por esta: depressão pós parto musical.
beijos

 
At 11:15 AM, Blogger pituco said...

joyce,
aproveite o intermezzo...uma dica...ouvir música...rs...tem uma moçada nova que anda aprontando um sonzão bacanudo...vale conferir...myspace e afins.

e essa canção, na casa do villa é menção aquela passagem contada pelo maestro jobim, não é isso?...piramidal

abraçsons pacíficos

 
At 8:55 AM, Blogger Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

joyce esta ultima foto com vc e o Tutty segurando esta crianzada chorona...kkkkk bela foto para album de familia.
eh o ciclo da vida nao? eu ainda estou na fase pai/tio...netos daqui uns anos creio...
esta musica "Na Casa do Villa" toca bastante no meu MP3player...eh adoravel o disco inteiro..Gafieira Moderna...
abs
paul

 
At 11:45 AM, Blogger Luiz Antonio said...

Crianças são as alegrias da nossa vida. A infância tem essa caracteristica, as mudanças são tão rápidas que o filho do ano pasado não é mais o mesmo desse ano, muda tudo; Por isso ás vezes aquele desejo de que o tempo parasse para que ficassem exatamente daquele tamanho, daquele jeitinho que nos arrebata. E por conta disso a casa da gente, e até vez que outra a nossa vida profissional e pessoal vira de pernas pro ar por causa deles, de um jeito que parace que não vai mais ter conserto...tem uns armários aqui em casa...umas gavetas...nossa! Você abre atrás de uma coisa e o que salta da gaveta é um brinquedo perdido, um enfeite de cabelo, uma folha toda riscada, com alguns giz de cera , enfim totalmente fora do lugar e o que você realmente buscava sumiu e aparece no armario de brinquedos...mas o pior mesmo são quando as chupetas (umas seis ao todo) resolvem desaparecer em grupo,as vezes por tempo de se desistir e buscar outra na farmácia para sanar a choradeira. Depois de tudo calmo vc abre aquela gaveta lá...lá do cantinho, lá da lavanderia..e eles estão lá. Por favor, isso acontece com vocês? Ou aqui em casa nós perdemos o controle? Aguardo resposta (é serio). Não abro mão disso por nada na vida, mas se der para melhorar, aceito sugestões.

 
At 1:00 PM, Anonymous Anônimo said...

joyce, sou um antigo admirador do seu trabalho,e quero aqui colocar uma tese meio explosiva: vc não acha que o Brasil tem medo de você? por vc ser mulher e talentosa demais, tudo muito demais? isso me parece que incomoda as pessoas. dá a impressão de que excesso de talento é ofensivo aqui na nossa pátria amada. Tom Jobim já dizia isso.

 
At 1:08 PM, Blogger joyce said...

Luiz Antonio, casa que tem criança sempre tem saci. Não tem jeito,

 
At 1:08 PM, Blogger Rafaela Figueiredo said...

falando em música: acaso (?), começa a tocar 'sem fantasia' (vc e emílio santiago), na playlist, quando chego aqui para 'lê-la'!
q bom acompanhamento de leitura... =)

besos

 
At 3:20 PM, Blogger Luiz Antonio said...

JOYCE, vc agora me reconfortou a alma... (és mestra nisso, ja te disse, com sua música)mas fazer eu me dar conta que na real o que está havendo é só o SACI! Puxa, obrigado mesmo! Acendeu a criança que eu busco tanto manter viva dentro de mim pra enfrentar o dia-a-dia! (missão na qual as filhas tem papel importante). Eu andava triste porque a minha Emilia tinha morrido (a Emilia Dirce Migliaccio , que foi a de minha geração - era a global , mas ERA BOM, ATÉ NA TRILHA SONORA) e agora me fizeste perceber como num passe de mágica que meu problema é o SACI! Vou contar pras meninas! E já estou ate começando a achar que daqui a pouco eu vou encontrar esse preto retinto, andando nu pela casa...
No meu terraço venta bastante...tem uns redemoinhos...muita coincidência...hum....como é que não pensei nisso antes! Obrigado!

 
At 4:18 PM, Blogger Ricardo Mann said...

OPA! Disco Maluco!? É comigo mesmo. Capriche, por favor!

http://brincadeiradavida.myblog.com

 

Postar um comentário

<< Home