sexta-feira, outubro 16, 2009

adrenalina!

Música é um negócio engraçado: você recebe do parceiro (ou compõe você mesmo/a) uma melodia, por exemplo, e vai ouvindo os sons que ela sugere. Sempre soa parecido com algumas sílabas, que vão formando palavras, e você começa obsessivamente a repetir a música, até que as palavras juntas comecem a fazer algum sentido. E vai inventando uma história em cima daquilo. E descascando as palavras, até que saia tudo o que não for preciso pra contar a história dentro da melodia proposta. É mais ou menos assim que funciona, pelo menos comigo.

Meu parceiro Francis Hime estava com urgencia de uma letra para um samba recente, que ele tinha composto para incluir em seu novíssimo CD. Mandou para mim a música, e o que saiu foi a letra que aqui segue, inspirada numa personagem real. Trata-se de uma moça (que não conheço pessoalmente, é bom que se diga), geógrafa e passista (profissional! ela se apresenta como "passista-show da Mangueira"), e que mantém um interessante blog sobre as raízes do samba, meio-ambiente e urbanismo. Ela escreve bem, e foge do estereótipo da rainha de bateria que só pensa em ficar saradona para aparecer na avenida. O que me fez pensar em quantas moças bacanas, multitalentosas no samba e na vida, devem existir por aí. E o povo só vê o que é visível e óbvio.

Sem pedir licença, e esperando que ela não se incomode por ter virado tema de um samba, fui em frente -  e assim ficou (e é a faixa de abertura do novo CD do Francis, 'Tempo das Palavras'):

                    ADRENALINA (Francis Hime/ Joyce Moreno) 

Samba menina

Que adrenalina (bis) 

Olha só como samba essa menina

Põe cada vez mais adrenalina

Na alma do povo que vai lá

Que palpita

Se ela faz fita

A galera agita, grita

Vai pingando colírio nas retinas

De todos os homens do lugar

Olha lá

É Iemanjá, é Iansã

Sambando até de manhã, veja

Mas debaixo de toda essa beleza

Na alma da deusa, o que será

Que ela sonha?

Ela sonha o futuro das cidades

O meio ambiente, as liberdades

A utopia de Platão

Vai menina

Nessa rotina 

Sob a purpurina, rima 

O brasão de Descartes no estandarte

Engenho com arte e sedução

Quem vem lá

É Iemanjá, é Iansã

Sambando até de manhã, veja

Mas debaixo de toda essa beleza

Na alma da deusa, o que será

Que ela sonha?

Ela sonha o planeta, essa menina

Enquanto a cidade se ilumina

Enquanto pro povo tudo é…

Adrenalina

Samba, menina

Que adrenalina

Samba menina… 

8 Comments:

At 7:03 AM, Anonymous Túlio said...

pois é, eu já tive esta vontade.
quando saiu caymmis a primeira vez no disco dos EUA, só com aquele pedacinho de letra, quase enlouqueci, tentando escrever algo que coubesse na música, que não saia da minha cabeça.
depois veio aquela letra maravilhosa.
quem sabe um dia sai algo que preste.
beijos

 
At 6:24 PM, Blogger pituco said...

joyce,

acordo e antes mesmo do café matinal, visito os sítios virtuais...leio essa tua postagem com novidades...

fica a curiosidade em se ouvir a canção...

abraçsons pacíficos

 
At 11:07 PM, Blogger Paul Brasil (Paul Constantinides) said...

bela letra
joyce.
dah para imaginar a musica.
espero poder ouvi-la em breve.
ah Platao, planeta, Iemanja e cidade brilhando..muito cool as imagens indo e voltado como o gingado da tal menina...
taih...
bjs
abs
paul

 
At 5:26 AM, Blogger pituco said...

joyce,

acabo de postar, com atraso, porém não com destrato, um relato do show que assisti de tua temporada no blue note tokyo.

por favor,oportunamente leia e veja se há reparos a fazer...

desde sempre, muito obrigado mesmo.
abraçsons pacíficos

 
At 11:39 AM, Blogger Érika said...

Só faltou colocares a indicação do blog da moça.
Deu uma vontade de ler...

 
At 9:12 PM, Blogger j. de andrade lemos said...

por falar em excelentes composições, aqui na lona gilberto gil hoje é a apresentação do nosso querido ivan lins. letras e músicas como as que vcs criam, nos levam literalmente ao orgasmo musical... e ainda tem gente que não consegue compreender a profundidade disso. só nos resta [os que já atingiram] respeitar e torcer para que não passem por toda a vida sem ao menos saber o que causa no interior do ser a harmonia de uma boa música... da verdadeira canção.

 
At 4:15 PM, Blogger Ricardo Mann said...

Estou ansioso por ouvir esse novo samba...
http://brincadeiradavida.blogspot.com

 
At 9:58 AM, Blogger rogerio santos said...

Ah Joyce.
Também Geógrafo, e também com minhas letras, algumas músicadas (Pituco é meu parceiro principal) e algumas também construidas em cima de melodias que me mandaram, ou que "filei" mesmo...rs (como o Túlio tentou e não conseguiu no primeiro comentário, eu tentei algumas que ficaram interessantes...)

Sempre gostei de escrever poemas, crônicas... e curiosíssimo de como se dava essa construção melodia/letra.

Quem viria primeiro?

Fui aprendendo, sem nunca ser informado por ninguém (por isso tão interessante essa tua postagem), que para esse tipo de construção, não há regras.

A letra pode nascer antes, a melodia, ou podem ir se encontrando simultâneamente.

Ao menos já passei pelas 3 possibilidades nas parcerias que consegui estabelecer.

Deixo um convitinho para uma visita no meu blog também.
é um blog de poemas e letras.

www.folhadecima.blogspot.com

Beijos
Rogerio

 

Postar um comentário

<< Home